Aprendizados do Final de Semana

Hoje já é quarta-feira, mas eu não podia deixar de conversar com vocês- textualmente falando- sobre a minha badalada programação de festas na última semana.

Comemorações de quinta a domingo, e uma presença mais que normal: o excesso de comidas ma-ra-vi-lho-sas ao redor. E o que fazer? Se jogar pensando que ser magrinho é genético (erro fatal) ou pensar como um “ex-cheinho” e saber que, se extrapolar demais, com certeza o arrependimento vai dá sinais de existência nos próximos dias. Pois é, optar pelo segundo caminho é a melhor solução e vou contar um pouco dessa experiência para vocês, afinal, a qualquer semana, em qualquer mês, isso também poderá fazer parte da sua rotina.

Sair durante a semana (de segunda a sexta) pode ser associado a várias interferências nos hábitos alimentares, meramente por uma questão social. Interação com pessoas geralmente é atrelada à ideia de comer (até mesmo sem fome física) e beber até cair- BRINCADEIRA MINHA GENTE- de apreciar bebidas alcóolicas.

Ai, vem a desculpa: não bebo cerveja, bebo bebida destilada. Sim, ótimo! Com essa escolha, você poderá evitar a famosa barriga inchada, mas não vai se livrar das calorias que qualquer bebida, exceto água, tem em sua composição.  Já imaginou calcular quanto se bebe de calorias? É melhor não né? Então, é melhor escolher um dia pelo menos para a essa ingestão e não fazer disso um hábito. Dessa forma, o corpo também vai prever que aquela atitude é temporária e com isso, não terá tempo suficiente de começar a produzir os efeitos desse excesso. O que acontece, na grande maioria, principalmente nas mulheres é a famosa retenção de líquido que o álcool e o as bebidas com alto teor de sódio produzem.

Esse mesmo raciocínio vale para a comida, ou melhor, o excesso dela. É importante destacar que todo o excesso é prejudicial, pois o nosso corpo precisa de equilíbrio e é preciso que cada um encontre esse equilíbrio nas porções de cada alimentação. E falando em comida, essa foi a grande atriz principal em cada uma das festas que participei.

Aproveitei ,curtir com meus amigos e ainda sobrevivi a manutenção do meu peso.  Para isso adotei algumas atitudes que me ajudaram bastante.

Nas festas com música: é bom aproveitar para dançar bem muito (desse jeito, você se esquece das comidas sob a mesa e não fica querendo matar o tédio com comida);

Sentiu sede: reveza bebendo água, suco e refrigerante zero (para os que bebem, é importante se planejar, lembrando que outras festas viram e é preciso que se faça escolhas);

Sentiu fome: peça uma porção pequena e ofereça aos amigos, lembrando que ao chegar em casa você poderá comer algo mais saudável);

Além de se mexer dançando, o tempo também pode correr mais rápido você sendo a fotógrafa da vez, conversando com as pessoas, beijando o namorado ou o amor da noite. Isso evita que fiquemos muito tempo parado, evitando assim a automática famosa petiscada em excesso;

Quer comer todos os bolos? No meu caso, tive seis bolos para comer (1 quinta, 2 sexta, 2 sábado e 1 domingo). Nesse caso, experimentei o da quinta e repassei para o namorado o restante, o da sexta comi mesmo (apenas um dos dois bolos) e também coincidiu ser o dia liberado por mim (também não podia perder o delicioso bolo feito pela mãe de uma grande amiga, porque é mesmo mara o sabor), o do sábado também experimentei apenas um e passei o restante logo para as amigas e o domingo não comi. Outro ponto importante é você cortar a sua fatia e não aceitar a “generosidade” da fatia cortada por aquele amigo que corta a fatia de acordo com o amor que sente por você: ENORMEEEE.

Se você já faz exercício físico, não mude sua rotina por conta do cansaço da festa. Realize seu treino, mesmo um pouco mais cansado, afinal, do mesmo jeito que você compensa com uma guloseima o seu esforço na malhação, a guloseima e os excessos devem ser recompensados com a queima de calorias.

E como ninguém é de ferro, libere um dia, contudo seguindo as outras recomendações sobre as compensações. No meu caso, privilegiei a minha querida sexta.

Pronto! Sou uma sobrevivente e continuo no peso. Espero que as dicas pessoais que funcionam comigo, funcionem na vida de vocês.

Anúncios

Sobre Mônica Gominho

Sou Mônica Gominho, muito prazer! Jornalista graduada, apaixonada por saúde e tudo que ofereça bem- estar ao corpo e a mente. Hoje, cultivo novos hábitos sem paranóias e sem fugir da comida e das críticas da família e de amigos. Com boas escolhas alimentares, leitura e a prática de exercícios físicos, a amizade com a balança não é mais uma guerra, é apenas consequência das minhas novas escolhas por uma qualidade de vida presente e futura. Alimento o pensamento de que a colheita de amanhã é um reflexo do que somos e escolhemos hoje. Ter saúde, em algumas situações, também pode ser opcional, basta que você cuide de você mesmo!

»

  1. Monyke de Paula disse:

    Muito pertinente seu texto Mô bem…
    Não há balança que resista a tantos bolos e bebidas, consegui seguir suas dicas na quinta-feira tirando a parte do adoçante que ainda não consigo trocar o meu açúcar.rsrsr
    Bjo grande e continue sempre a nos inspirar a termos hábitos saudáveis

  2. Cibelle Maimone disse:

    Adorei as dicas!!!!!! Parabéns pelo blog!!!! Beijos Moniquete!!! 🙂

  3. Para mais dicas, continua acessando (= porque mesmo distante a gente mantém um vínculo

  4. Muito bem Mô bem…para começar a mudar hábito só basta um início, não é mesmo!!!

Muito bom contar com a sua interação saudável ;)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s